Promulgada extensão das moratórias de créditos até Março 2021

Comentário Ld: muita atenção! Não nos precipitemos na adesão a este tipo de instrumentos. É essencial fazer um rigoroso planeamento financeiro de 2020 e 2021 para perceber se a moratória não será o adiar (e o agravar) de um problema de liquidez que pode por em causa a sobrevivência da organização!

 

Presidente da República promulgou o diploma que alarga a moratória dos créditos bancários de famílias, empresas e instituições particulares de solidariedade social até março 2021.

O Governo alargou ainda os beneficiários e o âmbito das moratórias bancárias, passando a incluir os emigrantes e o crédito ao consumo para educação, segundo o Programa de Estabilização Económica e Social.

Em 4 de junho, após a aprovação do documento em Conselho de Ministros, o Governo já tinha anunciado o prolongamento até 31 de março de 2021 da moratória que permite suspender o pagamento das prestações dos empréstimos bancários.

Desde final de março que está em vigor uma lei que permite a suspensão dos pagamentos das prestações de créditos à habitação e créditos de empresas (capital e/ou juros) por seis meses, ou seja, até setembro, prazo agora alargado.

Também os principais bancos que operam em Portugal acordaram moratórias para crédito ao consumo (não abrangido pela lei do Governo) e crédito à habitação, sendo que podem aceder à moratória clientes com quebras de 20% nos seus rendimentos (que a lei do Governo não abrange).

 

Fonte: Eco.pt, editado por Pedro Duarte

Marcelo promulga extensão das moratórias de créditos até março de 2021

 

Share this post